Artigos recentes

Síndrome do Arrancamento de Penas

SILVESTRES

Este distúrbio comportamental desencadeia um prurido intenso (coceira), associado ao arrancamento das penas, é mais comumente observado nos Psitacídeos de cativeiro, dentre eles: Araras, Papagaios, Calopsitas, Agapornis e Cacatuas. As causas de tal transtorno são multifatoriais, desde deficiências nutricionais, infecções virais, dermatites, endo/ectoparasitas, alergias, neoplasias à alterações comportamentais psicossomáticas.

O diagnóstico diferencial torna-se imprescindível tanto para descartar as causas citadas acima, quanto no tratamento corretivo das mesmas.

No diagnóstico definitivo a abordagem terapêutica deve ser aplicável e responsiva, levando em consideração a inteligência e habilidades dessas aves em driblar os tratamentos e enganar seus tutores.

Em quaisquer circunstancias, faz-se necessário o uso temporário, as vezes relativamente longo ou em casos graves até permanente, de colar protetor concomitante a ao tratamento clínico e mudança no manejo ambiental.

No diagnostico precoce em aves com histórico recente de arrancamento o prognóstico tende a ser favorável, porém... Cuidado!

As aves que são diagnosticadas tardiamente, podem desenvolver o mal habito de continuar arrancando penas mesmo após a causa primaria ser resolvida, tornando-se muitas vezes casos crônicos, podendo apresentar atrofia irreversível dos folículos das penas, fazendo com que parem de nascer definitivamente deixando regiões aptéricas (sem penas) permanentemente.

Procure um Médico Veterinário especialista para tirar suas dúvidas!

Postado por: Christine Prisco

O que fazer ao encontrar um filhote no chão?

SILVESTRES

Estamos na Primavera, época de nascimento desses pequeninos. Após os críticos primeiros dias, aprender a voar é o próximo passo para uma ave ser bem sucedida em sua sobrevivência e é nessa fase que os acidentes acontecem, dentre eles, a queda do ninho. O que fazer ao encontrar um filhote no chão?

1° passo: Procure o Ninho.
Ele deve estar por perto! Se o achar, coloque o filhote de volta e, se possível, observe até os pais voltarem, provavelmente estarão em galhos bem perto! Se o filhote for órfão você pode dar a ele uma segunda chance de vida e até de voltar à natureza. Primeiro, tente identificar a espécie. Caso o filhote seja ainda muito jovem esta tarefa se torna difícil pois são todos bem parecidos antes da primeira plumagem. Uma forma de facilitar é observar as aves das redondezas e procurar na internet pelas espécies incidentes em sua região. É de extrema importância sabermos que tipo ave se trata para saber como alimentá-los de forma apropriada

2° passo: Mantenha o filhote aquecido.
Se o primeiro passo não funcionar…. Aves filhotes necessitam de fontes de calor para manter sua temperatura corporal e quando em stress ou desnutridas gastam todo seu estoque de energia tentando manter sua temperatura! Vamos ajudá-la a poupar energia se ofertarmos calor... Dicas práticas: Bolsas térmicas ou luvas de látex e garrafas pet (com água morna dentro) são maneiras práticas e quebram o maior galho. Outra opção seria uma lâmpada de luz quente, porém, deve ser usada sempre com um copo de agua ao lado para manter a umidade e utilizada apenas durante o dia pois a luz constante causa stress a ave.

3° passo: Alimente o pequeno!
Aves filhotes desnutridas perdem sua temperatura corpórea muito rápido, já que para mantê-la são necessárias fontes extras de energia de rápida absorção.
Emergencialmente, ofereça direto no bico com uma seringa ou colher de café algumas gotas de água misturada com mel ou glucose de milho (Karo). Uma solução ainda melhor é água de coco com dextrose (sachês de maltodextrina que encontramos na farmácia)… É baratinho e de eficiência garantida, de 2 a 5 gotinhas direto no o bico a cada duas horas, lembre-se, nos intervalos ofereca agua de bebida pura direto no bico através da seringa, pode ajudar a hidratar a ave ! A papa de frutas e com minhocas maceradas também ser usada para aves frugívoras e/ou insetívoras. Já para as aves maiores como os pombos e psitacídeos, preparar uma papinha caseira com 1 parte de de gema de ovo cozida + 1 parte de cereal (aveia) + 1 parte de ração para filhotes de cão ou gato diluídas com água morna. Oferecer de 4 em 4 horas com auxílio de uma colher ou seringa até encher 3/4 do papo.

4° passo: Procure um Médico Veterinário especializado
Lembre-se que tudo isto é paliativo. O ideal é, assim que a ave estiver estabilizada, levá-la até um médico veterinário especializado para que ele possa identificar e tratar adequadamente com as necessidades biológicas específicas para a espécie em questão, isto será fundamental para a sobrevivência do filhote!!!!

Postado por: Christine Prisco

Ultrassom em Coelhos

ANIMAIS SILVESTRES
Ultrassom em Coelhos

Assim como em outros mamíferos, o ultrassom mostra-se um meio complementar eficiente para o auxílio no diagnósticos de doenças comuns aos nossos amigos orelhudos.

As mais frequentes são as temidas infecções uterinas: Piometra, Metrite, bem como Viabilidade Fetal, Cistites, Cálculos, Criptorquidismo, entre outras. Também mostra-se eficiente para o diagnóstico secundário de afecções como Insuficiência Renal e Neoplasias.

Postado por: Christine Prisco
De Olho no Bicho ©2014: Todos os direitos reservados.